Vice-Presidente da ABRH-PR fala sobre saúde mental dos colaboradores em fórum da ExpoApras

A Vice-Presidente da ABRH-PR, Charmoniks Graça Heuer, participou como palestrante no Fórum sobre Gestão de Pessoas, atividade que integrou a programação da ExpoApras, realizada de 18 a 20 de abril, no Expotrade Convention Center, em Pinhais (PR).

Ao lado de Lucimara Roldan Boaretti (especialista em Medicina Trabalho) e Talita Linzmeyer (assistente social), ela falou sobre saúde mental dos colaboradores de varejo. Os debates foram moderados pela professora Camille Holmer, Diretora da ABRH-PR.

Durante o Fórum, foi mostrado que as doenças mentais são a terceira causa de afastamento do trabalho no país, conforme dados do Ministério da Saúde. O Brasil possui a maior prevalência de ansiedade no mundo e o quinto em casos de depressão e apenas 25% dos municípios brasileiros têm serviços especializados em saúde mental.

No setor varejista brasileiro, 74% dos profissionais relataram impactos em sua saúde mental durante a pandemia: ansiedade (57%), sobrecarga de trabalho (46%) e solidão ou isolamento (38%). E outros fatores também podem ser gatilhos como alta exposição em mídias, pressão por resultados, necessidade de adaptação, assédio, falta de segurança no trabalho e a expectativa de uma nova pandemia.

Deste universo, apenas 33% das pessoas procuraram por ajuda por medo do estigma social, da repercussão no trabalho, por falta de acesso à assistência ou pelo custo do tratamento, conforme apontou estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS).

 Pilares do bem-estar no trabalho

Ainda durante o Fórum foi apresentada uma Pesquisa de Benefícios Aon, que reúne dados sólidos para traçar um panorama real do mercado e contribuir nos processos mais decisivos. O estudo aponta cinco pilares para o bem-estar no ambiente de trabalho: físico, emocional, social, financeiro e profissional.

Resumindo, o colaborador tem que ter capacidade de funcionar com energia e fazer escolhas saudáveis, atitudes e reações em relação à vida cotidiana, capacidade de prosperar por meio de conexões e relacionamentos significativos, gestão financeira com preparo para o futuro, para enfrentá-lo com segurança e confiança e experiências de trabalho positivas que geram orgulho, satisfação e agregam valor.

Como conclusão, o Fórum destacou que o colaborador deve estar feliz, porque a qualidade de vida, o bem-estar e o humor estão diretamente lingados à felicidade e à produtividade no trabalho. Portanto, as empresas devem se preocupar mais com a saúde integral dos trabalhadores.